Abertura de capital do Carrefour Brasil sai pelo preço mínimo e atinge R$ 5,1 bi

28/07/2017 - Monacelli

Carrefour

O Carrefour levantou R$ 5,125 bilhões em sua oferta inicial de ações (IPO, na sigla em inglês) no Brasil. Apesar de ter sido o maior IPO realizado no País em 2017 – até então, o recorde era da companhia aérea Azul, com R$ 2 bilhões –, o valor movimentado ficou abaixo dos R$ 5,6 bilhões esperados pelos acionistas da varejista francesa. Os papéis da companhia saíram por R$ 15, o piso da faixa indicativa – o teto era R$ 19.

Do valor total captado, R$ 3,1 bilhões são da oferta primária, ou seja, das novas ações emitidas, o que significa dinheiro novo no caixa da empresa. Já R$ 2 bilhões são da oferta secundária, da venda de ações dos atuais acionistas – a Península, braço de investimentos de Abilio Diniz, e o grupo Carrefour. Terceiro maior acionista da rede, Abilio chegou ao Carrefour no fim de 2014 tendo como uma de suas metas contribuir para promover a abertura de capital da subsidiária brasileira da rede.

O resultado da precificação das ações do Carrefour reflete preocupações do mercado com a maior rede de varejo de alimentos do País, segundo fontes ouvidas pela Reuters. Gestores de fundos disseram que o preço na metade superior da faixa indicativa garantiria ao Carrefour um grande prêmio sobre seu maior concorrente, o Grupo Pão de Açúcar (GPA), apesar da falta de vantagens competitivas significativas.

O Carrefour assumiu a liderança no varejo de alimentos brasileiro em 2014, em meio a uma piora das vendas dos hipermercados Extra, do GPA, controlado pela companhia francesa Casino. A diferença no desempenho dos dois rivais foi encolhendo gradualmente a partir do segundo semestre de 2016, até ser zerada nos primeiros meses deste ano.

De acordo com um relatório do banco Brasil Plural, o Carrefour tem entre suas vantagens um modelo de atacarejo mais maduro e lucrativo, mas que vem perdendo força à medida em que o Assaí, também do Pão de Açúcar, avança.

O IPO, porém, deverá ajudar o Carrefour Brasil a ganhar força financeira para enfrentar o GPA, que se beneficia do fato de possuir uma rede de lojas com diferentes perfis, como o Pão de Açúcar (voltado para classes mais alta) e o atacarejo Assaí.

O Carrefour estreia na B3 na quinta-feira (20) e será listado no Novo Mercado, segmento de exigências de governança corporativa mais elevado da Bolsa.

Fonte: Jornal O Estado de São Paulo

Arquitetura Brasil Built to Suit CNI Crescimento Economia Entrevista Galpões Governo Imóveis Investimento Locação Marcel Monacelli Marcel Monacelli Arquitetura Mercado Monacelli News Rio de Janeiro Setor imobiliário Shopping Shoppings São Paulo Transporte Valor Valor Econômico
  • @marcelmonacelli

  • Alguns Projetos

  • © 2011 MARCEL MONACELLI ARQUITETURA. TODOS OS DIREITOS RESERVADOS.